FanPage

Instagram

Parceiros


mais lidos no mês

TAGS

dica (79) beleza (55) NYC (51) New York (45) Look do Dia (42) Tendência (38) famosas (30) Opereta (18) São Paulo (17) decoração (16) Maquiagem (12) Renner (12) estilo (11) SPFW (10) celebridade (7) street style (5) D.I.Y (1)

Arquivo


Torre do Cairo e Pirâmides de Gizé

Chegamos no Egito às 16 horas, do dia 22 de fevereiro. Como de costume o processo de imigração e bagagem foi bem demorado, por isso acabamos saindo do aeroporto por volta das 7 da noite. 

Ainda no Terminal 2 contratamos o nosso guia (que falava português) com uma agência de turismo local e compramos o chip para internet. Optamos por um pacote de dados de 8GBcom a operadora Orange (conhecida francesa), e custou  cerca de 30 reais. 


Nossa ida para o hotel foi tranquila, já tínhamos lido que o trânsito no Cairo era complicado, mas demos a sorte de não enfrentá-lo no primeiro dia. Nosso hotel ficou localizado bem no coração da cidade, juntinho da Praça Tahrir (onde aconteceu Primavera Árabe*) e do Museu do Cairo. Não se assustem com a demora para chegar no centro, o percurso do aeroporto até o hotel foram de exatos 21kms. Ao chegar no hotel nos impressionamos com o forte esquema de segurança. Ainda na entrada dois seguranças altamente armados se aproximaram do carro, pediram a documentação do motorista, perguntaram nossa nacionalidade, o número da reserva e depois vieram com dois cães de guarda revistar a mala. Antes de entrar no lobby mais um esquema de segurança montado, dessa vez com detector de mental. Nosso guia depois comentou que esse procedimento era comum e estava relacionado com a quantidade de estrelas do hotel, obviamente os de 5 estrelas se preocupavam mais com isso. Acho uma questão importante de trazer aqui é que no Cairo a escolha da hospedagem não foi somente ligada ao conforto e localização. Portanto, fica a dica que vale gastar um pouco a mais para se sentir mais seguro.




Praça Tahrir 



*Para refrescar nossa memória: a Primavera Árabe aconteceu em 2011 quando uma onda de protestos contra os governos começou a se espalhar em países como Egito, Tunísia e Síria. No Cairo, o palco dessa revolta foi a  Praça Tahrir, onde milhares de egípcios se reuniram para reivindicar seus  direitos. 



Praça Tahrir na Primavera Árabe



Naquele mesma noite visitamos a Torre do Cairo, o edifício mais alto da cidade (com mais de 180 metros) e um dos pontos turísticos mais famosos.  Como chegamos tarde não enfrentamos fila nenhuma, mas li vários relatos de turistas que passaram horas e horas de espera, acho que tudo depende do horário da visita. O único elevador da torre é bem pequeno, não suporta mais que 7 pessoas, então imaginem como deve ser a fila na hora do sunset?! Fiquei bem feliz como nossa escolha de ir a noite. Lá em cima eles contam com um restaurante 360 graus bem fofinho. Super indico! 
Preço para subir na torre: 60 EGP (mesmo que você for jantar no restaurante)
1 real = 5.35 Egyptian pound 
Ou seja, mais ou menos R$11
Horário de funcionamento: 8 às 00:00 
A cozinha do restaurante fecha às 23:00

*Curiosidade: A Torre do Cairo tem formato da flor de lótus, símbolo do Egito.

                                      
                       


                       

 Melhor falafel da viagem






Na manhã seguinte quem foi que pensou no jet lag? Às 8 da manhã, horário marcado com o guia, estávamos para lá de prontos de tanta ansiedade, hahaha. Nossa primeira parada do dia? As pirâmides de Gizé, clarooo. Mas vamos lá refrescar nossa memória das aulas de história? A necrópole de Gizé é um sítio arqueológico que inclui principalmente as três majestosas pirâmides construídas para os reis Quéops (ou Kufu), Quéfren e Miquerinos - pai, filho e neto. 

Esse complexo está localizado no planalto di Gizé, aos arredores do Cairo. Antigamente, as pirâmides ficavam mais isoladas, mas com o crescimento acelerado da população a cidade foi invadindo o deserto, e o que vemos hoje é a mistura da antiguidade com o novo. 

             



Assim que saímos da bilheteria demos de cara com a Pirâmide de Quéops, também conhecida como a Grande Pirâmide, é a maior delas (160m de altura), além de ser o monumento mais pesado que já foi construído pelo homem. Aproximadamente possui 2,3 milhões de blocos de rocha, cada um pesa em torno de 2,5 toneladas. Apenaxxxx...
No meu instagram coloquei vários vídeos dela de pertinho



Pirâmide de Quéops





Reparem no tamanho dos blocos de pedra



Visitamos a Quéops e depois entramos no carro para chegar no ponto mais alto, onde você consegue ter uma visão panorâmica das 3 pirâmides. O trajeto de uma pirâmide para outra é longo, então caso você esteja aventurando "sozinho" aconselho ir de camelo. Fizemos nosso passeio de camelo saindo do "observatório" e escolhemos o trajeto intermediário, tinha de 10, 15 (200 libras egípcias) ou 20 minutos. 









Apesar de SUPER divertido, montar no camelo é tarefa mais difícil do que a gente imagina. Eles geralmente levantam as patas de trás primeiro, consequentemente seu corpo vai todo para frente, ou seja, lembrem-se de jogar o peso para trás quando eles tiverem levantando.  


Outra dica valiosa: NÃO esqueça por hipótese nenhuma de negociar o valor antes de aceitar a corrida. E tenha certeza que você negociou o valor da subida e da descida do camelo. Mas como assim, Duda?! É que eles têm mania de cobrar um valor para subir e na hora de descer cobrar mais alegando que você não tinha negociado o valor da descida, só da subida kkkkkk... é mole? 

Uma das coisas boas de ter um guia por perto é que ele nos conta todas essas pegadinhas e sempre negocia um preço justo para você. 



          


       













A esfinge, que também faz parte do complexo de Gizé foi nossa próxima parada.  Até a chegada lá inúmeros vendedores ambulantes vendendo souvenir, mas só pare para perguntar o preço se realmente se interessar em comprar, os egípcios são conhecidos por barganharem e ficam ofendidos quando você barganha e não leva nada. 

Quando finalmente chegamos pertinho da esfinge me bateu uma mistura de felicidade e emoção. Parece bobagem mas a única coisa que pensei foi "dá para acreditar que elas realmente existem?" hahahah. No entanto, o que realmente as esfinges representavam? Bem, imaginem que as pirâmides eram grandes túmulos certo?! Os egípcios acreditavam que os faraós viveriam para sempre e, por isso, seus corpos eram preservados em um processo denominado mumificação. e guardados dentro da pirâmide. Além do seu próprio corpo, os faraós guardavam toneladas de ouro e inúmeros objetos considerados valiosos. Portanto, claro que eles não deixariam tanta coisa assim sem proteção. Para os egípcios a esfinge servia como protetora das pirâmides e dos templos. 


 A figura do leão era tida como um guardião dos lugares sagrados e do subterrâneo de leste a oeste, assumindo as características de um protetor unido ao corpo do Deus Sol “Atum”, simbolizado através das seguintes inscrições em sua boca: “ Eu protejo a capela do teu túmulo. Eu guardo tua câmara mortuária. Eu mantenho afastado os intrusos. Eu jogo os inimigos no chão e suas armas com eles. Eu expulso o perverso da capela do sepulcro. Eu destruo os teus adversários em seus esconderijos, bloqueando-os para que não possam mais sair”.








Preço da entrada de Gizé: 100 libras EGP 

*Estudante tem desconto, ou seja, lembrem-se da carteirinha.

  • Existe um provérbio árabe que faz referência às Pirâmides:

"[O] Homem teme [o] Tempo, [e] ainda [o] tempo teme as Pirâmides.”







Roteiro inusitado: Egito, Jordânia e Israel

Oii povooo! Nossa, quanto tempo que não escrevo aqui, hein? Lembro como se fosse hoje o primeiro post do blog há 6 anos. Como o tempo voooa! Ao longo dos anos fui traçando caminhos diferentes e acabei me afastando por completo daqui, por isso... minhas sinceras desculpas. Mas bem, hoje tô aqui para falar do PRESENTE. Nesses últimos anos a paixão por viagem aumentou, com isso acabei conhecendo lugares inusitados (que estavam na listinha de desejo por muitos anos) e pensei que seria legal dividir o roteiro com vocês.

No dia 20 de fevereiro (meu aniversário yaaayyy) saímos de Recife para São Paulo dando início a nossa grande saga.  O roteiro incluía a cidade do Cairo no Egito, seguindo para Jordânia (Amã e Petra) e finalmente Israel (Eilat, Mar Morto, Jerusalém e Tel Aviv).





Decidi separar por blocos e nesse primeiro post achei que seria legal abordar as primeiras impressões do Cairo. A passagem pela imigração foi bem tranquila, tiramos nosso visto aqui no Brasil mesmo, o que acabou facilitando o processo. Porém, ficamos surpresos com a quantidade de guias que tinha lá para "ajudar" aos turistas a comprar o visto.




Para solicitação do visto enviamos um e-mail para a embaixada de Brasília e eles me mandaram todos os detalhes de documentação necessária. O visto de turismo de uma entrada custa R$115 e deve ser pago à vista. Teoricamente é proibido enviar dinheiro pelos Correios, mas a própria embaixada do Egito orientou a gente a enviar o dinheiro escondido (dentro do passaporte). Confesso que ficamos com um certo receio, mas Graças a Deus deu tudo certo. O nosso passaporte com visto aprovado chegou com duas semanas. Ah, vale ressaltar que é preciso ser vacinado contra febre amarela e ter o cartão validado pela Anvisa, hein gente?!




Ok, passamos pela imigração... ufa. Pensamos, vamos pegar um Uber aqui e vai dar tudo certo. Daí que esbarramos no primeiro problema o aeroporto não tinha wifi livre, aliás até tinha, mas naquele esquema de você ter que cadastrar um número local para eles enviarem sms para você com um código (só eu tenho abuso disso?), e como não tínhamos sinal no celular ficamos sem internet temporariamente.





A essa altura estávamos sendo praticamente atacados por um tanto de guia egípcio. Eles ficam aos montes, logo após a segurança, te oferecendo os mais variados serviços. Depois de muita conversa fechamos um pacote que incluía: transfer particular de ida e volta para o aero, guia em português para os dois dias que estaríamos na cidade, jantar no Rio Nilo e van privada durante todo o passeio. Isso tudo saiu por $300 para quatro pessoas. Achamos o preço bem justo. Aliás vocês vão logo descobrir que o Cairo é uma cidade MUITO barata, ex.: uma pizza grande na Pizza Hut custa em torno de 35 reais











Se você tem fluência em inglês não se preocupe em fechar guia aqui no Brasil, sério. No aeroporto mesmo você pode sair com seu roteiro montado. Caso você seja esteja viajando sozinho eles também tem pacotes em grupo para ficar mais suave o valor. Claro que ainda tem a opção de fazer tudo sozinho, o que geralmente apoio total, mas não no Cairo. A maioria da população não fala inglês, então os taxistas provavelmente não irão te entender e se entender não vão ligar o taxímetro, já o transporte público é bem complicado, dez vezes pior que no Brasil. Aliás, o trânsito deles é bem caótico... Atravessar a rua às vezes vira um grande episódio kkkk Mas tudo isso vale a pena porque os egípcios são uns amores.

No próximo post vou contar os detalhes da primeira noite no Egito e finalmente o encontro com as pirâmides Uhuuuu










Um dia no Safari

Oi gente!! Hoje tô aqui para finalmente falar do passeio mais maravilhoso de toda viagem: o safari. Fomos visitar o Pilanesberg National Park e ficamos encantados com a paisagem incrível e claro, os animais. Assim que chegamos em Sun City passamos no parque e fomos nos informar dos horários dos passeios e preços. Praticamente todo hotel lá vende o passeio para o safari, mas achamos que ir na fonte seria mais barato. Dito e feito! Economizamos pelo menos uns ZAR 100 por pessoa. 




Nesse parque você tem a opção de entrar com seu carro sozinho e se aventurar. Eles te dão o mapinha e você fica responsável por achar os animais e principalmente pela sua própria segurança. O parque deixa bem claro que não se responsabiliza por nenhum acidente. Vimos algumas pessoas fazendo isso, mas como nosso carro não era 4x4 (ou melhor eu não estava doida) pegamos o passeio do Jeep com guia. Eles oferecem o passeio em dois turno, um às 8:00 da manhã e outro às 15:00. A duração média é de 3 horas e custa cerca de   ZAR 400. Deixando claro que não é um passeio privado. 

Quem me conhece sabe que já não sou dessas pessoas super corajosas então quando vi que o carro era aberto eu fiquei MORTINHA de medo… Não vou mentir. Mas claro que eu não enfrentei horas e horas de viagem para não fazer o principal passeio, né? Então a coragem bateu e fui! Acontece que a coragem sumiu quando demos de cara com o primeiro animal… Um leão. Isso mesmo, leão esse que estava comendo um elefante. Claro que a blogueira que vos fala pirou o cabeção e se abaixou no carro. Assim mesmo… No meio de todo mundo #alouka hahaha 





Quando o susto finalmente passou eu levantei e finalmente encarei a fera haha. O guia comentou que fomos sortudos, pois nem todo mundo topa com o leão no passeio. No entanto nossa meta era encontrar os Big 5 (animais mais difíceis de serem caçados pelo homem): leão, rinoceronte-negro, leopardo, búfalo-africano e elefante. 

Seguimos o passeio e demos de cara com muitas zebras e segundo o guia esse era o animal mais fácil de ser encontrado no safari. Também vimos de longe duas girafas. Elas também são animais fáceis de serem vistos… Por motivos de..? Vocês sabem! Geralmente são vistas sozinhas ou em pequenos grupos. 





Depois foi a vez dos bambis  (desculpa mas não consigo não lembrar do filme de infância). Esses aí só andam de galera, ou seja, vimos muuitos. 

Mais na frente damos de cara com um rinoceronte (eu insistia em chamar de rinossauro durante a viagem. só meus pais sabem o quanto meu irmão tirou onda) e também foi uma euforia. 



Mais lá na frente encontramos o bichinho mais fofo desse mundo: o elefante. Vontade de colocar todos no potinho (ou deveria dizer potão?). Por nosso sorte eles chegaram bem perto e a farra foi grande na hora de tirar a foto. Estávamos todos disputando a janela hahah

Depois de umas 2 horas de passeio fizemos uma parada em area do parque fechada onde a gente pode parar para tirar fotos, comer alguma coisa ou ir ao banheiro. Claro que fui tirar fotos. Esse parque cercado tem uma vista maravilhosa para um lago e fomos sortudos (mais uma vez) de presenciar um pôr-do-sol de tirar o fôlego. 


Como estava escuro pensei que o passeio já tinha acabado praticamente. Mas eis que o guia resolveu voltar para o ponto onde encontramos o leão e para nossa surpresa ele ainda estava lá. Se quando estava de dia eu fiquei com medo vocês podem imaginar minha cara nessa situação, né?! Ficamos MORTINHOS! Não vou negar que achei totalmente imprudente da parte dele, até porque fomos os últimos a sair do parque. Mas bem… o fato é que não aconteceu nada e hoje estamos aqui para contar nossas aventuras pelo safari.  




Inspiração do dia - Central Park


Oi gente! Quem me acompanha no instagram (@eduardalopes) sabe que ontem eu fui no Central Park tirar umas fotos para postar aqui no blog. Estou numa fase massa de explorar meu namorado
quando o assunto é fotografia, já que recentemente ele comprou uma lente mara para a câmera dele.

Ontem Nova York recebeu mais uma nevasca, o que deixou a cidade ainda mais linda (tipo toda branquinha), daí decidimos que esse seria o cenário perfeito para um mini photoshoot. 

Algumas pessoas me perguntaram no insta se não estava muito frio para eu usar sandália aberta. Estava sim, gente. Bastante frio! Mas acredito que esse look seria mais uma inspiração, sabe?! Na verdade, é impossível andar sem bota por aqui. Ontem estava cerca de -4 graus celsius… Então vocês podem imaginar o que eu sofri brincando de modelo né kkkkkk. Meu casaco e minha bota estavam bem do ladinho só me esperando hahaha. 

Mas iai gostaram do look e das fotos? Quero ouvir de vocês! Até que o boy caprichou né?! hahaha. Para quem se interessar no trabalho dele é só seguir no instagram também (@kylemeng).











Best cookie: Insomnia


Quem aí não resiste a um cookie quentinho? Eu sou dessas que sempre fracassa no regime...  é só alguém falar em doce que minhas lombriguinhas já ficam loucas kkkkkk 

Acontece que essa semana eu comi o cookie mais saboroso de todos os tempos. A loja Insomnia foi criada para atender os pedidos mais desesperados da sua mente gordinha… Sabe o porquê? A loja faz entregas de cookies quentinhos (yummy) até 3horas da manhã. Isso mesmo galera! Os new yorkers se superam hein?! Uma das coisas que mais gosto dessa cidade é que você pode receber entrega a praticamente qualquer hora do dia… Tem coisa melhor que isso?

Apesar da Insomnia Cookies ter  várias lojas instaladas em #NYC a ideia surgiu no campus da Universidade da Philadelphia por um dos estudantes. O danado empreendedor basicamente fazia entrega durante a madrugada para o povo que não conseguia dormir de tantaaaa fome (de cookie) hahahah #TheZueraNeverEnds










Almoço no Catch mais OOTD



Oi meninas! Muito feliz em voltar a postar aqui com mais frequência. Confesso que estava com saudade de compartilhar mais do meu dia com vocês. Esse post é mais uma diquinha para aqueles que estão em Nova York.

Essa é a última semana do Restaurant Week da cidade, então aconselho muito aqueles que estão de bobeira a conhecer um dos melhores restaurantes da cidade. O evento sempre reune famosos nomes do circuito gastronômico entre eles: Tao Uptown, Cipriani, Catch, Beauty & Essex, Butter, Mr Chow etc.

Vocês podem uma encontrar a lista nesse link AQUI. O preço é fixo, sendo $25 no almoço e $38 no jantar. O cardápio do Restaurant Week inclui entrada, prato principal e sobremesa. 

Eu que de boba não tenho nada aproveitei essa última semana para ir em mais um restaurante, o Catch.  Minha amiga e eu ficamos super inclinadas pelo Cipriani mas antes de fazermos a reserva fui pesquisar mais sobre o menu do Restaurant Week e li alguns comentários horríveis. No final das contas adoramos nossa escolha. Vale ressaltar que a comida estava uma verdadeira delícia. Ponto para o Catch!!!


Na volta para casa aproveitei para tirar foto do look que usei hoje para o almoço. Quero saber se vocês gostaram, hein?! Ouvir de vocês é a melhor parte de postar!! 


Catch Rolls

Beef Sliders


 Chocolate Cookie Sundae






Look do dia
Blusa: Zara
Saia: Le Lis Blanc
Casaco: Calvin Klein
Bota: Arezzo
Óculos: Miu Miu
Scarf: Zara
Bolsa: Chanel